Nasceram os primeiros cachorros gémeos idênticos do mundo

Uma cadela da raça Galgo Irlandês deu à luz os primeiros cachorros gémeos idênticos de que há registo. A descoberta foi feita pelo veterinário Kurt de Cramer, que realizou o parto por cesariana no Rant en Dal Animal Hospital, na África do Sul.

Realizando mais de 900 cesarianas por ano, para o veterinário esta era mais uma operação de rotina. No entanto, em 26 anos de prática, foi a primeira vez que Cramer assistiu ao nascimento de dois cachorros a partir de uma placenta.

“Quando percebi que os cachorros eram do mesmo sexo e tinham marcas muito semelhantes, imediatamente suspeitei que poderiam ser gémeos idênticos originados da divisão de um embrião”, descreve à BBC.

Havia um problema: CullenRomulus não eram totalmente idênticos, com marcas um pouco diferentes nas patas, na ponta da cauda e no peito. O veterinário precisava de mais provas.

Quando os animais tinham duas semanas de idade, Cramer colheu amostras de sangue e enviou-as para os especialistas reprodutivos Carolynne Joonè, da Universidade James Cook (Austrália), e Johan Nöthling, da Universidade de Pretória (África do Sul), que confirmaram as suspeitas do veterinário: os perfis de ADN dos cães eram idênticos em todos os 40 marcadores genéticos.

Trata-se do primeiro relato de gémeos monozigóticos em cães confirmado através de perfis de ADN.

O estudo que traz detalhes sobre a confirmação dos gémeos foi publicado a 22 de agosto na Reproduction in Domestic Animals.

Artigos relacionados

PSP de Coimbra resgata 6 cachorros recém-nascidos que vão agora crescer com uma mãe adotiva

Seis cachorros recém-nascidos foram resgatados na passada quinta-feira por duas pessoas que se aperceberam da sua presença na rua, em Coimbra, depois de serem abandonados num caixote do lixo.

Turquia | Gato interrompe programa televisivo

Gato interrompe programa de televisão na Turquia e encontra um novo lar!

Houve um cão que sobreviveu ao trágico incêndio de Pedrógão Grande

Um verdadeiro milagre. Um cão, que estava perto da N236, já conhecida como a estrada da morte, sobreviveu ao trágico incêndio de Pedrógão Grande, que fez dezenas de vítimas mortais.