Homem condenado a pena de prisão por enterrar cadela viva

Homem condenado a pena de prisão por enterrar cadela viva

Um homem de 53 anos foi condenado à revelia, no passado dia 6 de abril, pelo Tribunal de Grândola a uma pena suspensa de um ano e quatro meses de prisão por ter enterrado viva a sua cadela, Big, de raça Husky.

Segundo avança o jornal ‘Público’, o tribunal deu como provado os maus tratos ao animal, apesar de o homem, construtor civil, não ter comparecido no julgamento. A Big, que estava doente, foi resgatada mas acabou por morrer duas semanas depois.

Em janeiro do ano passado, Teresa Campos, da Associação Focinhos, recebeu uma denúncia anónima por telefone, que dizia ouvir há vários dias um cão uivar numa cova, situada nas traseiras do restaurante Barco do Sado, na Carrasqueira. De acordo com o ‘Público’, o homem colocou a sua cadela naquele local porque “estava à espera de a mandar abater”.

A cadela foi levada para o Hospital Veterinário da Arrábida, onde acabou por ser abatida devido a uma doença parasitária e problemas neurológicos que não foram tratados a tempo.

O dono da Husky, que mora ainda com outro cão e um gato, ficou assim proibido de ter animais em casa durante três anos. “Nem pensem em vir buscar o outro cão que tenho. Aí já mexem comigo”, disse, ao ‘Público’, o construtor civil, que se diz injustiçado mas não vai recorrer da sentença do tribunal. No entanto, terá de pagar à Associação Focinhos a conta do hospital veterinário e mais 250 euros.

Artigos relacionados

Novo santuário animal no Algarve

O Algarve vai ter um dos maiores santuários animais do país, a Associação Abrigo dos Animais – Animal Rescue Algarve irá proporcionar uma nova casa temporária a cerca de 600 patudos abandonados e maltratados.

Açores | Equipa do Lusitânia entra em campo acompanhada de cães!

No jogo de apresentação do Sport Club Lusitânia ocorreu uma iniciativa inédita, um evento solidário destinado a promover a adoção e a sensibilizar para o não abandono de animais.

O Ouriço Europeu está em declínio! Mas é possível ajudar!

A Amigos Picudos – Associação para a preservação e proteção dos ouriços lançou uma campanha de crowdfunding para concretizar o projecto “CRIDO” – Centro de Recuperação e Interpretação do Ouriço.