Famalicão | Município cria cheque-veterinário para ajudar famílias carenciadas

Famalicão | Município cria cheque-veterinário para ajudar famílias carenciadas

As famílias de Famalicão, que tenham cães ou gatos, mas não sem condições financeiras para os tratamentos médico-veterinários, vão ter acesso a um cheque-veterinário.

Esta iniciativa foi criada pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão em parceria com a Ordem dos Médicos Veterinários, aprovada pelo executivo municipal na última reunião, com o intuito de ajudar as famílias carenciadas do concelho que não têm condições para cuidar da saúde dos seus animais e, simultaneamente, para incentivar a adoção de animais.

Segundo o website da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, Presidente da Câmara, diz que o “abandono e maus-tratos aos animais combatem-se criando condições às famílias para conseguirem manter os seus animais em casa”.

Esta medida abrange também as pessoas que adotarem animais no Centro de Recolha Oficial (CRO) de Famalicão, nomeadamente na vacinação, desparasitação, esterilização e outros tratamentos e urgências 24 horas.

A esta parceria juntaram-se já dez clínicas veterinárias do Concelho e, paralelamente a este projeto, está a decorrer uma campanha de vacinação antirrábica e identificação eletrónica de cães e gatos no concelho, através dos Serviços Veterinários da Câmara Municipal.

Fonte: Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão

Artigos relacionados

9ª Campanha do Banco Solidário Animal

Saiba como pode colaborar com esta iniciativa que em 2015 angariou 460 toneladas de alimento, que serviram para alimentar mais de 25 mil animais.

Irmãos de dois e cinco anos conduzem carro da mãe em direção à quinta de animais da avó

Dois irmãos, de dois e cinco anos, naturais do condado de Putnam na Virgínia, Estados Unidos, roubaram o carro da mãe e conduziram-no ao longo de quase cinco quilómetros.

O gato Jimmy foi encontrado pelos donos passados quase 3 anos

Susan Zelitsky perdeu o seu gato, em New Jersey (EUA), em setembro de 2014. Passados quase 3 anos reencontrou-o depois de ver a sua fotografia na página de Facebook de uma Associação.