China terá parque para pandas com cerca de um quinto da dimensão de Portugal Continental

China terá parque para pandas com cerca de um quinto da dimensão de Portugal Continental

A China vai ter um parque para pandas no sudoeste do país, com dois milhões de hectares (20 mil quilómetros quadrados) — quase um quinto da dimensão de Portugal continental, anunciou esta quinta-feira o ministro dos Negócios Estrangeiros.

Situado na província de Sichuan, o projeto visa impulsionar a economia local, enquanto oferece àquela espécie em extinção um território onde pode procriar e diversificar o seu banco genético.

O Banco da China prometeu financiar a criação do parque, designado Giant Panda National Park (Parque Nacional do Panda Gigante), com pelo menos 10 mil milhões de yuan (1,2 mil milhões de euros).

Zhang Weichao, um funcionário de Sichuan envolvido no planeamento do parque, disse ao jornal oficial China Daily que o projeto irá ajudar a reduzir a pobreza entre as 170 mil pessoas que vivem dentro do território abrangido.

Os planos para a criação do parque, que deve estar pronto em 2023, foram iniciados no ano passado, pelo Comité Central do Partido Comunista Chinês e o Conselho de Estado, segundo o jornal. O panda é a mascote não oficial da China e vive sobretudo nas montanhas de Sichuan. Estima-se que haja 1.864 pandas a viver no meio selvagem. Outros 300 vivem em cativeiro.

Texto: Agência Lusa

Artigos relacionados

Há um rinoceronte à procura de companheira no Tinder

No Quénia, último rinoceronte branco macho procura companheira para acasalar na App Tinder.

Jardim Zoológico de Mossul tem apenas dois animais e… a morrer à fome

O Jardim Zoológico de Mossul já só tem dois animais, um leão e um urso, depois de ter sido destruído pelos confrontos entre as forças armadas iraquianas e os militares do Estado Islâmico.

Ordem dos Médicos Veterinários alerta para a resistência aos antibióticos

OMV promoveu sessão informativa em parceria com a DGAV sobre “Resistência aos antimicrobianos – Presente e Futuro”, mais comumente designados por antibióticos. Para a OMV é essencial que o controlo da venda e do uso de antibióticos esteja efetivamente e sem exceções nas mãos dos médicos veterinários.