Vila Franca de Xira | Campanha para adoção de animais

O Município de Vila Franca de Xira lançou uma campanha por todo o concelho visando a sensibilização da população para a adoção responsável de animais de estimação.

O Centro de Recolha Oficial (CRO) do município tem à sua guarda “muitos animais de companhia capturados na via pública”, proporcionando-lhes “acolhimento, alimentação e tratamento médico-veterinário com vista à sua posterior adoção”, explica a câmara em comunicado.

Sob o lema “Quero ser teu amigo – levas-me para tua casa?”, a Câmara Municipal recorda o imenso valor afetivo associado à integração de um animal de companhia no seio familiar, alertando por outro lado para a importância da adoção responsável, que implica uma reflexão prévia de todos os aspetos associados à decisão de acolher este novo elemento na família.

Antes de fazer uma adoção deverá refletir, nomeadamente, sobre a existência de um novo elemento no seu núcleo familiar, já que ele necessita do seu espaço na habitação, de alimentação própria, de exercício físico adequado, de cuidados de higiene e de saúde. A adoção responsável implica também refletir sobre os períodos de férias e de ausências da família.

O Centro de Recolha Oficial está disponível para visitas, podendo ser contactado via telefone (263 299 527) ou e-mail (cro@cm-vfxira.pt). Pode também conhecer os animais disponíveis para adoção visitando a Página de Facebook do CRO de Vila Franca de Xira.

Artigos relacionados

Animais de estimação têm influência na inteligência das crianças

Ferrán Abelló, CEO da PetClic, loja de animais em Espanha, referiu também que estes animais reduzem o stress das crianças e aumentam a autoestima de todas as pessoas.

Veterinários Portugueses vão a África vacinar Animais

A Associação Veterinários sem Fronteiras Portugal está a promover a “Semana da Vacinação para África”, para angariar fundos para a promoção de vacinação animal em países em desenvolvimento.

Homem condenado a pena de prisão por enterrar cadela viva

Um homem de 53 anos foi condenado à revelia pelo Tribunal de Grândola a uma pena suspensa de um ano e quatro meses de prisão por ter enterrado viva a sua cadela, Big, de raça Husky.