Pessoas não adotam alguns cães abandonados porque não são giros para o Instagram

Os cães que não estão “na moda” nas redes sociais, mantêm-se abandonados nos canis, enquanto que há lista de espera para adotar certas raças. O Instagram está a influenciar a adoção/compra de cães, segundo um estudo no Reino Unido.

Segundo um estudo feito pelo Dogs Blog, um site britânico que divulga cães para adopção, 95% dos canis inquiridos considera que os donos agem por impulso, devido às redes sociais, e compram um cão sem compreender as responsabilidades.

Foram questionados os responsáveis de vários canis no Reino Unido, confirmando que as celebridades e as redes sociais estão a influenciar as vendas de certas raças e a levar à rejeição de outras.

Os Staffordshire Bull Terriers, Akitas e Greyhounds estão entre as raças menos preferidas, ao contrário dos Buldogues Franceses e dos Pugs, que são os mais procurados, havendo mesmo listas de espera.

Segundo o Sábado, Ryan O’Meara, co-fundador do Dogs Blog, diz que “Nem todas as pessoas que compram ou adoptam uma raça popular ou um cruzado o fazem inspirados por celebridades ou pela cultura de Instagram, que torna algumas raças mais populares que outras, no entanto, é evidente que as mudanças na popularidade de certas raças coincidem com os donos que são celebridades e influenciadores, que dita muitas vezes as raças que vemos serem abandonadas nos abrigos.”

Esta tendência leva a que a idade média dos cães deixados nos canis seja de apenas dois anos e dois meses.

Fonte: Sábado

Artigos relacionados

Já conhece o “Cão mais feio do Mundo” de 2018?

“Zsa Zsa”, uma Bulldog Inglês de 9 anos, que vive no Minnesota, venceu a 30ª edição do World’s Ugliest Dog Contest, que teve lugar a 23 de junho, na Califórnia (EUA).

Filipinas | Cão ajuda dono a movimentar-se

Todos os dias Digong, um cachorro de 7 meses, empurra a cadeira de rodas do seu dono, para ele poder movimentar-se.

Tommy: o gato com um coração no peito que encontrou casa a tempo do Dia dos Namorados

Implorava por comida à porta de uma agência imobiliária em Rochester, Inglaterra, mas pouco tempo depois encontrou um novo lar.