Morreu o cão que permaneceu durante 10 anos no cemitério onde o dono foi sepultado

Morreu o cão que permaneceu durante 10 anos no cemitério onde o dono foi sepultado

Capitão, o cão que permaneceu no cemitério onde o dono foi sepultado durante dez anos, morreu com problemas de saúde, nomeadamente de visão e nas articulações, aparecendo morto junto à campa do dono, Miguel Guzmán, segundo avança o site espanhol 20minutos. Tudo aconteceu em Villa Carlos Paz, uma província de Cordoba, na Argentina.

Em 2005, o animal de 16 anos foi um presente de Miguel, que acabou por falecer um ano depois, para o seu filho Damián. Quando o dono morreu, Capitão desapareceu de casa, sendo depois encontrado pela família no cemitério, muito próximo do dono.

A florista do cemitério, Marta Clot, que ficou responsável por alimentar o animal – assim como dar-lhe a medicação necessária -, confessou nunca ter visto nada assim.

Uma vez que o cão viveu grande parte dos últimos dias no cemitério, várias pessoas pedem para que os restos mortais do animal sejam depositados no cemitério. Para isso, será necessária uma autorização especial.

 

Artigos relacionados

Miranda do Douro com centro de melhoramento de genética animal até ao fim de 2018

A transformação do antigo Posto Zootécnico de Malhadas (PZM), em Miranda do Douro, num centro de melhoramento de raças autóctones poderá acontecer até ao final de 2018, anunciou o presidente da câmara, Artur Nunes.

Expozoo 2017 com uma centena de expositores

Expozoo 2017 apresenta serviços e produtos inovadores numa área de negócio em franco crescimento, na Exponor, no fim-de-semana de 14 e 15 de janeiro.

Findster: uma ‘startup’ de localizadores de animais de estimação criada no Porto

A Findster é uma startup de localizadores de animais de estimação, sedeada no norte do país, e que vende para mais de 70 países.