Linha Saúde Animal 24 já recebeu 5 mil chamadas desde dezembro

Linha Saúde Animal 24 já recebeu 5 mil chamadas desde dezembro

A Saúde Animal 24 começou a funcionar há cerca de três meses, a 7 de dezembro de 2016, e a linha telefónica já recebeu 5 mil chamadas. São muitas as dúvidas colocadas diariamente sobre problemas como intoxicações alimentares e são também pedidos conselhos sobre viagens, entre outros assuntos.

A fundadora da linha, Carolina Rebelo, salienta o facto de muitas das pessoas que telefonam nunca terem levado os seus animais de estimação ao veterinário devido a problemas financeiros.

“As pessoas nem sempre percebem a gravidade da situação. Há muitos animais que só foram ao veterinário uma vez e a maioria nunca foi. São animais que tiveram problemas que se resolveram por si, mas também por condições financeiras”, sublinhou Carolina Rebelo à TSF.

Entre as questões mais frequentes estão também muitos casos de problemas gastrointestinais e respiratórios, assim como ao nível do comportamento. “Recebemos muitas perguntas sobre como integrar novos animais em casa e nas viagens pedem conselhos para melhorar a viagem do animal. Ao nível das infeções temos muitos casos com pesticidas”, confessou.

Através do número 760 450 911 e com o custo fixo de 60 cêntimos, esta linha funciona 24 horas por dia, de segunda-feira a domingo, e responde a um grande leque de dúvidas: nutrição, intoxicações, questões de saúde pública, viagens e comportamento.

Artigos relacionados

Fim das “quintas de pelo” na República Checa e Alemanha

Após vários anos, a Fur Free Alliance comunicou que foi votada por maioria o fim das “quintas de pelo” na República Checa e Alemanha.

Lidl doa 16,4 toneladas de ração a 10 associações

A Campanha “Cãopartilha”, levada a cabo pelo Lidl Portugal na sua página de Facebook, resultou na doação total de 16,4 toneladas de ração a 10 associações de norte a sul do país.

Animais têm novo estatuto jurídico e vão deixar de ser “coisas” a partir de 1 de maio

Este estatuto foi publicado em Diário da República na passada sexta-feira e reconhece-os como seres vivos dotados de sensibilidade e objeto de proteção jurídica.