Jardim Zoológico tunisino reabre portas após tragédia com morte de crocodilo

Jardim Zoológico tunisino reabre portas após tragédia com morte de crocodilo

Um Jardim Zoológico que foi obrigado a fechar portas depois de um crocodilo ter sido apedrejado até à morte foi reaberto ao público, mas com nova sinalização. Antes de entrarem no zoo, os visitantes são devidamente informados de que não podem atirar qualquer tipo de objetos para o recinto onde estão os animais.

O Belvedere Zoo, na Tunísia, encerrou em março, devido a um protesto público pela morte do animal, com várias fotografias nas redes sociais a mostrarem o estado do crocodilo após ter sido apedrejado.

“Algumas pessoas, quando vêem um leão a dormir, por exemplo, querem atirar-lhe pedras para ele acordar e levantar-se. Pedimos que parem, por favor”, disse Taoufik Yaacoubi, um dos guardas do Jardim Zoológico, citado pelo ‘Daily Mail’.

Desde que o zoo reabriu, houve uma “melhoria de comportamento”. “Temos um Jardim Zoológico melhor”, disse Mahmoud Latiri, diretor da instituição.

Artigos relacionados

Incêndios: Recolha de animais selvagens aumenta no Centro de Castelo Branco

O Centro de Recuperação de Animais Selvagens de Castelo Branco (CERAS) recebeu nas últimas semanas, em consequência dos incêndios florestais, mais de 90 animais, estando 50 internados atualmente, informou hoje a associação Quercus.

Seca: Apoios à produção animal “vieram muito tarde”, diz a Confederação dos Agricultores de Portugal

As medidas anunciadas para apoiar a alimentação dos animais em regiões do país afetadas pela seca extrema, como é o caso do Alentejo, “vieram muito tarde”, disse ontem, na Lourinhã, o presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP).

Lourinhã foi “invadida” por dinossauros de diferentes espécies

Esta foi uma iniciativa no âmbito do lançamento do Parque dos Dinossauros da Lourinhã, que estará em funcionamento em inícios de 2018, e do evento Dinossauros Saem à Rua.