Festival de Natureza volta às Arribas do Douro

Festival de Natureza volta às Arribas do Douro

O ObservArribas está de volta! De 25 a 27 de maio, a Natureza, cultura e tradições singulares da região das Arribas do Douro voltam a estar em destaque. As novidades este ano incluem uma sessão de observação de aves noturnas, um passeio matinal na companhia de um pastor local, e animação musical no recinto da feira.

Já está disponível o programa para os três dias mais movimentados de Miranda do Douro e restante território das Arribas do Douro. Esta segunda edição do festival – que o ano passado atraiu cerca de 800 participantes – terá dezenas de atividades de natureza e culturais, desde observação de aves e passeios guiados a workshops de Mirandês e danças tradicionais, e ainda uma feira com empresas e produtos locais.

A organização do ObservArribas trabalhou com vários parceiros para proporcionar mais de 60 atividades ligadas à natureza, cultura e tradições da região das Arribas do Douro. As atividades são maioritariamente gratuitas ou com descontos exclusivos para os participantes. As inscrições online estão abertas até 18 de maio.

Ao longo do festival, são muitas e diversas as atividades em que pode participar, desde as Oficinas sobre aves de Portugal, visitas a pombais tradicionais ou aos Centros de Valorização e de Acolhimento do Burro de Miranda. Canoagem no rio Douro, passeios pedestres, observação de aves e flora, exposições, e atividades para os mais novos fazem também parte da extensa oferta.

Artigos relacionados

‘Animais de Rua’ conquista prémio internacional em Birmingham

A associação foi distinguida com o prémio ‘International Cat Care Welfare of the Year’ na cerimónia dos Ceva Animal Welfare Awards, que se realizou no passado dia 4 de abril.

Temos a vida deles nas nossas mãos!

No “Dia Mundial do Animal”, a Petable pretende fazer a diferença na vida de um patudo especial através da campanha “Temos a vida deles nas nossas mãos!”.

Mulher condenada a prisão perpétua após papagaio testemunhar o crime

Um caso que teve início em 2015, mas só agora viu o seu julgamento terminado.