Boom Festival apoia recuperação de animais selvagens

Através do Boom Karuna Project, o Boom Festival apoia de novo a recuperação de animais selvagens do CERAS – Centro de Estudos e Recuperação de Animais Selvagens da Quercus – Núcleo de Castelo Branco.

Num ano “normal” o CERAS – Centro de Estudos e Recuperação de Animais Selvagens da Quercus – Núcleo de Castelo Branco recebe à volta de 200 animais. No ano passado, chegaram-lhe 370. Este foi o motivo pelo qual o Boom Karuna Project – projeto de responsabilidade social do Boom Festival, lançado no rescaldo da edição de 2014 – decidiu apoiar financeiramente o CERAS. 

Quando há dois anos foram divulgadas as instituições apoiadas com base no projeto, Artur Mendes, da organização do festival bienal realizado na margem direita da Albufeira de Idanha-a-Nova, afirmava que o Boom Karuna (“compaixão” em sânscrito) Project era “mais um passo em frente na construção de um mundo menos díspar socialmente e um projeto para manter [na edição de 2016 e] em edições futuras”. O objetivo é apoiar entidades ou projetos locais que, por estarem no interior do país, têm menos facilidade em se financiarem.

Para o CERAS, o hospital de fauna selvagem da Quercus, em Castelo Branco, a doação do Boom Festival, em conjunto com outras recebidas no final do verão do ano passado, permitiram a aquisição de equipamentos de terapêutica veterinária com vista a melhorar o desempenho da enfermaria e algumas obras de ampliação nas instalações exteriores, nomeadamente, construção de mais túneis de voo e mudas.

“Estas intervenções permitiram-nos aumentar e melhorar a capacidade de resposta do centro, o que era prioritário, tendo em conta o aumento do fluxo de animais feridos e debilitados, como consequência dos incêndios e da seca do verão passado. Apoios como este permitem que continuemos a melhorar o nosso trabalho e um dos indicadores disso mesmo é a taxa de recuperação que temos atualmente de cerca de 60% de animais recuperados e devolvidos à natureza”, explica Samuel Infante, da Quercus.

O CERAS recebe cerca de 200 animais por ano – 370, em 2017 –, de mais de 70 espécies diferentes, na sua maioria aves como cegonhas, águias, abutres, corujas, mas também mamíferos como lontras, texugos, morcegos e, em menor número, répteis e anfíbios. A sua principal missão é recuperar animais selvagens debilitados e devolvê-los ao meio natural. É a segunda vez que é apoiado no âmbito do Boom Karuna Project.

De volta aos 150 hectares da Boomland, em Idanha-a-Nova, entre 22 e 29 de julho, o Boom Festival é um evento bienal de cultura independente e sustentável que, desde 1997, se realiza durante lua cheia de julho ou agosto, sendo uma referência internacional. Multidisciplinar, Transgeracional e intercultural, o Boom recebeu já inúmeros prémios internacionais na área da sustentabilidade ambiental.

Artigos relacionados

Infraestruturas de Portugal monitorizam mortalidade de animais selvagens desde 2010

A Infraestruturas de Portugal (IP) monitoriza desde 2010 a mortalidade dos animais selvagens em mais de 13 mil quilómetros de estrada, tendo implementado algumas medidas que levaram à diminuição do problema.

Findster: uma ‘startup’ de localizadores de animais de estimação criada no Porto

A Findster é uma startup de localizadores de animais de estimação, sedeada no norte do país, e que vende para mais de 70 países.

EUA | Cão polícia recebe homenagem antes de ser adormecido

Hunter, um Cão de Pastor Alemão da unidade canina da polícia de Middletown, Connecticut, nos Estados Unidos, foi diagnosticado com um muito grave cancro do fígado e não havia tratamento que o conseguisse salvar.